1919 – 1938


Crise e Oportunidade

Depois da guerra, a demanda militar por leite condensado declina, causando uma importante crise na Nestlé & Anglo-Swiss em 1921. A empresa se recupera, mas é novamente abalada pela Quebra de Wall Street em 1929, que reduz o poder de compra do consumidor. Contudo, essa época tem muitos aspectos positivos: a administração da empresa se profissionaliza, a pesquisa é centralizada e produtos pioneiros, como o Nescafé, são lançados.

Destaques


1921 – 1922

Nestlé laboratory in Vevey, Switzerland

A queda dos preços e a grande quantidade de ações disponíveis levam à primeira, e única, perda financeira da Nestlé & Anglo-Swiss em 1921. O banqueiro Louis Dapples é contratado como Gestor de Crises, e encoraja a empresa a contratar gerentes profissionais pela primeira vez. A administração é centralizada, e a área de pesquisa é centralizada em um único laboratório em Vevey, Suíça.


1929

advertising by chocolate company Peter-Cailler-Kohler

A empresa compra a maior empresa de chocolates da Suíça, Peter-Cailler-Kohler, cuja origem data de 1819, quando François Louis Cailler cria uma das primeiras marcas de chocolate daquele país, a Cailler. O chocolate agora é parte integrante dos negócios da Nestlé & Anglo-Swiss.


1934

Milo poster

O achocolatado maltado Milo é lançado na Austrália, e seu sucesso resulta na exportação posterior para outros mercados. A empresa continua a desenvolver alimentos para bebês e crianças neste período, e lança Pelargon em 1934, um leite em pó integral para bebês enriquecido com bactérias do ácido lático para melhorar sua digestibilidade.


1936

chocolate advertising posters

Um mercado competitivo para chocolates na Suíça encoraja Nestlé-Peter-Cailler-Kohler a inovar lançando o chocolate branco Galak, e, no ano seguinte, Rayon, um chocolate aerado com mel. As vitaminas são um diferencial de produtos saudáveis na década de 1930, e a Nestlé lança o suplemento alimentar vitaminado Nestrovit em 1936.


1938

Nescafé

Nescafé é lançado como “extrato de café puro em pó” que retém o sabor natural do café, mas pode ser preparado mediante a simples adição de água quente. O produto é invenção de Max Morgenthaler, que começa a trabalhar nessa ideia em 1929, quando o governo brasileiro solicita à Nestlé & Anglo-Swiss que desenvolva uma solução para o uso da grande quantidade excedente de sua produção de café na ocasião.