Água

A gestão da água, no Brasil, está sintonizada às prioridades de Criação de Valor Compartilhado. Colaboradores, fornecedores, consumidores, governos e instituições são engajados em projetos e parcerias focadas que gerem conhecimento e mudem para melhor os padrões da indústria, com foco em eficiência, reúso e tecnologia de ponta.

Uma das frentes nas quais a Nestlé concentra esforços é a autossuficiência de suas fábricas – ou seja, zerar a captação de água nova no meio ambiente. Em 2014, a Nestlé S.A. conseguiu esse feito por meio de um processo que reaproveita a água extraída do leite bovino em uma planta no México.

Esse conceito já chegou ao Brasil nas unidades de Palmeira das Missões, no Rio Grande do Sul, e também na nova fábrica de cápsulas de café NESCAFÉ Dolce Gusto, em Montes Claros (MG). Nesta unidade, a água extraída da planta industrial vizinha de Leite MOÇA habilitou a produção a zerar seu consumo de recursos hídricos.

O método de reúso de água extraída do leite é adotado em 13 fábricas de lácteos no Brasil. O plano é zerar o consumo de recurso hídrico novo nas unidades. Em algumas fábricas, o modelo permite economias significativas: em São Paulo, nas plantas de Araçatuba e Araraquara, 185 milhões de litros de água são economizados por ano – o suficiente para abastecer 3,3 mil pessoas no mesmo período.

Como funciona a extração de água do leite?

A separação é feita na etapa de evaporação do leite. A água é reutilizada para resfriamento de torres, reposição de caldeiras geradoras de vapor, circuitos de água gelada e limpeza.