NESCAFÉ Dolce Gusto: ecoeficiência da produção ao pós-consumo

 

A Nestlé S.A. possui metas globais para projetos voltados aos impactos pós-consumo e pretende zerar a geração de resíduos para descarte em todas suas fábricas até 2020. Um dos caminhos para isso é associar atributos de sustentabilidade às marcas – este é o objetivo para NESCAFÉ Dolce Gusto, que vem reforçando a gestão do ciclo de vida de seus produtos.

Em 2015, foi inaugurada a primeira planta de cápsulas Dolce Gusto fora da Europa, em Montes Claros (MG). A unidade usa café 100% brasileiro e matérias-primas locais e rastreáveis. A fábrica já iniciou atividades nos conceitos Zero Resíduo – todos os resíduos são reciclados ou reaproveitados – e Zero Água – por meio da reutilização da água extraída do leite de outra planta Nestlé, de leite condensado, situada no mesmo município.

Ciente dos impactos e desafios da cadeia pós-consumo ligadas ao negócio de cápsulas de café, a empresa também está mobilizada para encontrar soluções que reduzam os impactos ambientais na fase de descarte. Em 2015, foi desenvolvida uma resina a partir de cápsulas pós-consumo de Dolce Gusto, com várias aplicações possíveis. Um projeto-piloto de logística reversa – ou seja, de retorno e destinação de cápsulas pós-consumo – já está sendo realizado em lojas em São Paulo e em edifícios corporativos.

  • 80% de resíduos reciclados ou reaproveitados em Montes Claros (MG)