Preocupações sobre as condições de trabalho na cadeia de fornecimento de café no Brasil

To Press Releases listmar 2, 2016

Estamos muito preocupados com as graves alegações sobre potenciais situações de trabalho forçado e más condições de trabalho em algumas plantações de café no Brasil. Não toleramos violações dos direitos dos trabalhadores e trabalho forçado não tem lugar na nossa cadeia de fornecimento.

A Nestlé não compra grãos de café de fazendas que estejam na “lista negra”, mas café dessas fazendas vendido a subfornecedores pode acabar entrando na nossa cadeia de fornecimento. Estamos desenvolvendo um trabalho emergencial com nossos principais fornecedores, verificando seus parceiros e outras partes interessadas para apurarmos essas denúncias.

Em julho de 2015, uma auditoria de rotina realizada pelo Ministério do Trabalho encontrou práticas irregulares de trabalho em duas fazendas que vendem café para um dos nossos fornecedores. Embora nosso monitoramento não tenha revelado evidência de má conduta, nós suspendemos imediatamente estas duas fazendas de nosso programa de originação como precaução até que as investigações do governo sejam concluídas.

Levamos essas alegações a sério e tomaremos todas as medidas apropriadas, quando necessário, que podem incluir a revisão e suspensão de nossas relações comerciais com fornecedores que violarem nosso código de ética interno ou deixarem de tomar medidas corretivas.

A Nestlé tem o compromisso de assegurar que seus fornecedores cumpram com as leis nacionais e princípios corporativos. Exigimos que todos os nossos parceiros na originação de nossas matérias primas cumpram com nossos Princípios Nestlé de Gestão Empresarial e Código de Conduta do Fornecedor. Estamos determinados a garantir que esses requisitos sejam cumpridos em toda a nossa cadeia de fornecimento de café e, por essa razão, submetemos nossos fornecedores a auditorias de conformidade realizadas por auditores independentes.

Enfrentar problemas como o abuso de direitos humanos, especialmente trabalhos forçados, é uma questão vasta e complexa que exige medidas planejadas. Portanto, acolhemos e apoiamos a iniciativa brasileira denominada “Pacto Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo” da qual somos signatários.

Também apoiamos o banimento de produtos químicos perigosos e promovemos o uso adequado de equipamentos de proteção por parte dos trabalhadores para garantir a segurança deles nas plantações de café. Nos últimos anos, temos trabalhado para distribuir equipamentos individuais de proteção no Brasil, para melhorar a armazenagem dos produtos, treinar trabalhadores em práticas agrícolas seguras e ajudar a garantir a higiene sanitárias nas plantações.

Além disso, trabalhamos continuamente para aumentar a quantidade de café que adquirimos em conformidade com nossas Diretrizes de Originação Responsável (RSG). Aproximadamente 90% de nossos fornecedores de Café Arábica no Brasil foram supervisionados pelo Código Comum da Comunidade Cafeeira (4C), certificados pela Rainforest Alliance, ou por nossos próprios programas de sustentabilidade.

A Nestle tem conhecimento de que há muito o que fazer para endereçar as questões relativas às condições de trabalho nas cadeias de café no Brasil. A empresa reconhece seu papel nessa jornada e está comprometida em trabalhar com outros stakeholders para buscar uma solução para este complexo problema.

Acesse outas informações do Grupo Nestlé sobre nossos compromissos relativo à nossa cadeia de fornecimento e direitos humanos (em inglês) nos links abaixo:

- Responsible sourcing and Supplier Code
- Nestlé Business Principles
- Implement responsible sourcing in our supply chain
- Assess and address human rights impacts in our operations and supply chain
- Roll out the Nescafé Plan with coffee farmers
- Creating Shared Value Report 2014: Coffee