Reposicionando as empresas no centro da sociedade: Fórum de Criacao de Valor Compartilhado 2014

As empresas precisam colocar de lado o pensamento de curto prazo e, ao invés disso, se concentrar na criação de valor de longo prazo para seus acionistas e para a sociedade concomitantemente, disse Paul Bulcke, CEO da Nestlé, no Fórum de Criação de Valor Compartilhado (CSV), realizado hoje (09/10).

“A crise do endividamento global foi, em especial, uma crise de valores”, disse ele em seu discurso no Centro de Pesquisa Global da Nestlé em Lausanne, Suíça.

Paul Bulcke ponderou que uma combinação de pensamento holístico, metas de longo prazo e um retorno a valores claros e sólidos, baseados no respeito, é o único caminho possível para o futuro.

O Fórum de CSV deste ano, realizado com a presença do Presidente da Confederação Suíça, Didier Burkhalter, e co-organizado pela Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), se concentrou na criação de um novo papel para a indústria no âmago das sociedades em que desenvolve suas atividades.

“Um número excessivo de pessoas foi seduzido ou pressionado a cumprir metas egoístas de curto prazo e há uma evolução geral do raciocínio ‘eu-agora’ pra ‘nós-amanhã’”, disse Paul Bulcke.

“As lideranças precisam demonstrar seu respeito retornando ao papel básico das empresas – criação de valor para a sociedade como um todo, juntamente com uma perspectiva de longo prazo”.

Acelerando o desenvolvimento

Mais de 20 expoentes internacionais dos setores governamental, acadêmico, empresarial e da sociedade civil juntaram-se a centenas de outros no Fórum para discutir como acelerar o desenvolvimento sustentável, concentrando-se nas áreas fundamentais de Nutrição, Água e Desenvolvimento Rural.

A Nestlé acredita que para uma empresa ter sucesso no longo prazo e criar valor para seus acionistas, precisa criar valor para a sociedade.

A Nestlé anunciou que a Honey Care África, uma empresa da África Oriental que comercializa mel de forma sustentável com mais de 35 mil fazendeiros no Sudão do Sul, recebeu o Prêmio Criação de Valor Compartilhado.

O prêmio, um investimento de CHF 500 mil compartilhado entre o vencedor e os segundos colocados, reconhece negócios inovadores que criam valor para as comunidades abordando problemas de nutrição, água e desenvolvimento rural.

Madison Ayer, do Honey Care Africa, disse que o objetivo da empresa é ajudar os fazendeiros a se tornarem apicultores comerciais, e que estava muito feliz com essa premiação.

“O Prêmio de Criação de Valor Compartilhado é um reconhecimento maravilhoso do trabalho duro e paixão de nossa equipe, dos fazendeiros e clientes na África”, disse ele. “E o que é ainda mais importante é a oportunidade de estabelecer uma relação de longo prazo com a Nestlé, na medida em que alavancamos nosso fornecimento local sustentável com os recursos e expertise globais da empresa”.

Foco na Água

Durante as discussões sobre a água, o Presidente do Conselho da Nestlé, Peter Brabeck, disse no Fórum: “Acreditamos que o acesso à agua potável deveria ser realmente universal, e não apenas melhor, até 2015”, e observou que a meta deveria ser acelerada para permitir o acesso a melhores condições sanitárias para, no mínimo, mais 120 milhões de pessoas por ano.

A Nestlé, o primeiro parceiro corporativo da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), vem trabalhando com essa organização desde 2006, concentrando-se especialmente na melhoria do acesso das comunidades rurais à água.

Nesse evento, a Nestlé também anunciou a renovação de sua cooperação de longo prazo, comprometendo-se a contribuir com CHF 5 milhões para a organização nos próximos cinco anos.

Paul Bulcke disse que ambas as organizações se beneficiaram com as expertises mútuas.

“Evoluímos de uma relação puramente filantrópica para uma relação que abraça nosso modelo de negócio de Criação de Valor Compartilhado e traz diferenças permanentes para as comunidades ao redor de nossa operações”, completou.

O Secretário-Geral da IFRC, Elhadj As Sy, disse que os funcionários e os voluntários da organização sempre apoiaram as comunidades em sua resposta contínua aos desafios humanitários na prevenção, resposta e recuperação das crises.

“Nosso trabalho nas áreas de água e esgoto são fundamentais para essa continuidade, e é muito bom poder contar com a parceria da Nestlé. O acesso seguro à água e esgoto oferece um terreno fértil para a melhoria da saúde e da qualidade de vida”, concluiu.

Como resultado dessa parceria, 100 mil pessoas nas comunidades cacaueiras da Costa do Marfim agora têm acesso à água potável e instalações sanitárias.

A Nestlé afirmou que expandirá o projeto de acesso à água e higiene para a vizinha Gana, e também patrocinará a produção do Relatório de Desastres Mundiais da IFRC.