Nestlé seleciona projetos de jovens empreendedores para acelerar na Amazônia

Produção de alimentos em sistema agroecológico, manejo sustentável na produção de açaí, frutaria e doceria estão entre as ideias de negócios de inovação social selecionados

To Press Releases listjan 31, 2017


Com o compromisso de compartilhar valor com a sociedade em que está inserida, a Nestlé por meio do Programa Nestlé Nutrindo os Sonhos dos Jovens na Amazônia, anuncia os projetos selecionados na primeira turma do programa. A iniciativa, que envolveu mais de 120 jovens em Muaná na Ilha do Marajó, capacitou 12 empreendedores em parceria com a Yunus Negócios Sociais e a CESUPA (Centro Universitário do Pará), irá fomentar 4 desses projetos com recursos próprios em 2017, ampliando a capacidade de gerar emprego e renda na região. 


A iniciativa começou no início de 2016 com um amplo diagnóstico realizado na Ilha de Marajó, passando por São Miguel do Pracauúba, Vila do Palheta, Pinduca, Ponta Negra e Mocajatuba, para compreender a realidade e necessidades regionais. A falta de cursos profissionalizantes, capacitação entre os jovens e adultos, carência de perspectiva profissional e geração de renda, somada a dificuldade de acesso a produtos para compor a alimentação diária pela população local, fez com que a Nestlé se unissem aos parceiros para desenvolver projetos de inovação social na Amazônia.
 
De agosto a novembro, 12 jovens empreendedores da região passaram por mais de 64 horas em dois workshops realizados pela Yunus Negócios Sociais em Muaná e tiveram a oportunidade de fazer benchmark em Belém em negócios similares. Todos foram capacitados com um amplo treinamento sobre como gerar e avaliar soluções para negócios rentáveis e com impacto social positivo. Durante os dois meses o grupo contou com um consultor que residiu em Muaná para coordenar de perto o desenvolvimento dos projetos.  
 
Das mais de 12 ideias criadas pelo grupo, sete delas após serem refinadas pela equipe de consultores, chegaram a um modelo financeira e operacionalmente sustentável, e foram apresentadas ao grupo de avaliadores formado por executivos da Nestlé, CESUPA e Yunus Negócios Sociais no 5 de dezembro, no formato chamado “pitch de inovação”. Mostraram ao comitê a ideia de seus empreendimentos, os planos de negócios e os recursos necessários para a implementação. 
 
Entre as variáveis observadas pelo grupo para selecionar os projetos que serão implementados este ano estiveram: o perfil do empreendedor; o impacto positivo do projeto para a comunidade; a sustentabilidade do negócio e a sinergia ao compromisso Nestlé com nutrição, saúde e bem-estar. A última fase, chamada de implementação terá início ainda este mês e os empreendedores terão acompanhamento e monitoria durante o primeiro trimestre. 

Baseado nos resultados do projeto piloto, ainda em 2017, a Nestlé irá expandir a iniciativa para desenvolver o empreendedorismo de jovens de outras quatro comunidades ribeirinhas, localizadas entre Belém e Santarém.


Os Empreendedores Selecionados





A empreendedora Ana Paula Oliveira, estruturou uma fruteira no distrito de São Miguel de Pracuúba, cuja principal atividade é a compra e venda de frutas, verduras e legumes tanto no varejo quanto no atacado. É a única fruteira da localidade, onde persiste uma escassez de oferta desses alimentos. O distrito possui aproximadamente 700 famílias(3.000 habitantes).





A empreendedora Tereza Martins, é a mais nova entre os empreendedores selecionados. Seu negócio consiste na produção e venda de bolos caseiros, utilizando frutas típicas da região (açaí, cupuaçu, banana, manga, goiaba), e as aproveitando integralmente. Sua motivação é disponibilizar opções de lanches mais saudáveis, além de valorizar os produtos regionais. A empreendedora aposta também na geração mínima de lixo - problema local grave - através da utilização de recipientes feitos também de frutas e não poluentes.





Gilfran Ramos, é técnico em agropecuária, formação que o auxilia na condução do projeto. O empreendedor apresentou três projetos (horta, criação de frangos e piscicultura), e a piscicultura foi escolhida para receber investimento. Em São Miguel de Pracuúba, mesmo sendo um distrito ribeirinho, o peixe vem de outros lugares, pois não há pesca local. Com a piscicultura, o empreendedor consegue oferecer peixe de qualidade por preços mais baixos, diversificando a oferta local e favorecendo a adoção de uma alimentação mais saudável pelos ribeirinhos.





Maikson Nascimento,  faz o manejo sustentável de açaí em seu próprio sítio desde os 16 anos. Seu negócio é um ponto de conexão na cadeia de açaí na região do Marajó - tem produção própria de açaí, compra de ribeirinhos que não tem transporte próprio e distribui a Totalidade em outras localidades.



Sobre o Programa Nestlé Nutrindo os sonhos dos jovens
O Nutrindo os Sonhos dos Jovens é parte do Nestlé Global Youth Initiative, que nasceu com o sucesso do Nestlé Needs Youth, desenvolvido em 2013 para contribuir com o combate ao desemprego entre os jovens na Europa. Na época, cerca de 11 mil jovens encontraram emprego e oportunidades de treinamento dentro do programa. A partir daí, outros países vêm recebendo a iniciativa, em formatos específicos para cada realidade. 

O programa tem metas estabelecidas ainda em relação à contratação de jovens, criação de novas vagas e estímulo a empresas parceiras para a adesão ao programa e multiplicação das atividades. Entre as principais metas do programa estão: Contratação de 7 mil pessoas até 2017; Alcance de mais de 3 mil jovens aprendizes com as melhorias nos programas de capacitação e a geração de 2,8 mil novas vagas dentro da companhia dentro dos programas Jovem Aprendiz, estágio e trainee. Para o programa da Amazônia, a Nestlé espera como resultado que os jovens acelerados decidam empreender em seus negócios. 
 

Sobre a Yunus Negócios Sociais

Yunus Negócios Sociais busca ser uma ferramenta prática para pessoas e organizações no Brasil interessadas em se engajar na construção de um país livre de seus maiores problemas utilizando os mecanismos do negócio social. Criado pelo professor Muhammad Yunus, economista e banqueiro, natural de Bangladesh, laureado Prêmio Nobel da Paz em 2006, a metodologia de inovação social será a ferramenta de apoio para a aceleração de empreendedores na Amazônia. 


Conheça outros empreendedores: Episódio II- Ana Paula e Gilfran






Conheça mais sobre a iniciativa: