Resultado do Ano de 2016: 3,2% de crescimento orgânico, margem de lucro operacional bruto com aumento de 30 pontos-base nas moedas de valor constante

To Press Releases listfev 16, 2017





  • 3,2% de crescimento orgânico e 2,4% de forte crescimento real contínuo 
  • Vendas de CHF 89,5 bilhões com aumento declarado de 0,8%, impacto cambial de -1,6%. 
  • Margem de lucro operacional bruto com aumento de 30 pontos-base nas moedas de valor constante, aumento de 20 pontos-base na margem de lucro operacional declarada atingindo 15,3%.
  • Ganhos subjacentes por ação de CHF 3,40, com aumento de 3,4% nas moedas de valor constante
  • Redução significativa do capital de giro médio de 4,7% para 2,8% das vendas.
  • Aumento dos dividendos propostos para CHF 2,30 por ação
  • Perspectiva para 2017: crescimento orgânico entre 2% e 4%; margem de lucro operacional bruto estável nas moedas de valor constante como resultado do aumento considerável nos custos de reestruturação para gerar rentabilidade futura; expectativa de aumento dos ganhos subjacentes por ação nas moedas de valor constante e da eficiência de capital.

Mark Schneider, CEO da Nestlé: “Nosso crescimento orgânico em 2016 ficou entre os mais altos da indústria, mas abaixo de nossas expectativas. Observamos uma melhoria consistente na margem de lucro operacional bruto e nosso fluxo de caixa cresceu significativamente. Com base nesses resultados, nosso Conselho de Administração pôde propor o 22º aumento de dividendos consecutivo, enfatizando nosso compromisso com a continuidade.
Em 2017, esperamos um crescimento orgânico entre 2% e 4%. Para gerarmos rentabilidade futura, planejamos aumentar os custos de reestruturação consideravelmente em 2017. Como resultado, espera-se que a margem de lucro operacional bruto nas moedas de valor constante permaneça estável. Os ganhos subjacentes por ação nas moedas de valor constante e a eficiência de capital deverão aumentar.
A Nestlé continua a investir em seu crescimento futuro e eficiência operacional, visando um crescimento orgânico médio de um dígito e uma significativa economia de custos estruturais até 2020.”


Resultados do Grupo


Vendas

  • As vendas totais aumentara 0,8% para CHF 89,5 bilhões, com impacto de câmbio de -1,6%. As aquisições, descontados os desinvestimentos, reduziram as vendas em 0,8%.
  • O crescimento orgânico foi de 3,2% com crescimento real atingindo um pico de 2,4% nos últimos três anos.
  • A política de preços ficou limitada em 0,8%, com algumas melhorias no segundo semestre. Uma melhoria mais significativa é esperada em 2017.
  • O crescimento orgânico e o crescimento real tiveram base ampla, destacando a força e a resiliência do nosso portfólio diversificado.

  • A inovação sustentou o crescimento do volume, com 30% das vendas provenientes de produtos introduzidos ou renovados nos últimos três anos.
  • O E-commerce foi responsável por 5% das vendas, com crescimento anual de 18%.

Lucro operacional bruto
  • O lucro operacional bruto foi de CHF 13,7 bilhões com margem de 15,3%, subindo 20 pontos-base na base declarada e 30 pontos-base nas moedas de valor constante.
  • Obtivemos essa melhoria de margem enquanto:
  • Os investimentos no apoio às marcas, marketing digital, pesquisa e desenvolvimento e novas plataformas de nutrição e saúde aumentaram. Gasto de marketing direcionado para os consumidores subiu 6,3%.
  • Os custos de reestruturação dobraram para CHF 300 milhões em 2016, para sustentar as iniciativas de economia de custos estruturais. 
Lucro líquido
  • O lucro líquido de CHF 8,5 bilhões foi impactado por vários itens, sendo o principal o ajuste não monetário extraordinário dos impostos diferidos. 
  • Os ganhos por ação declarados caíram 4,8% para CHF 2,76 pelos mesmos motivos.
  • Os ganhos subjacentes por ação nas moedas de valor constante aumentaram 3,4%.
Fluxo de caixa e capital de giro
  • O fluxo de caixa operacional aumentou CHF 1,3 bilhões para CHF 15,6 bilhões (17,4% das vendas) devido, em parte, à redução do capital de giro. O fluxo de caixa livre aumentou CHF 200 milhões para CHF 10,1 bilhões (11,3% das vendas). Isso demonstra nossa habilidade de gerar um forte fluxo de caixa consistentemente, mesmo em um ambiente de câmbio desafiador.
  • O capital de giro médio caiu 190 pontos-base de 4,7% para 2,8% das vendas (média dos últimos cinco trimestres).
  • O ROIC, incluindo o fundo de comércio e os ativos intangíveis, subiu 30 pontos-base para 11,2%. O ROIC, descontados fundo de comércio e ativos intangíveis, subiu 180 pontos-base para 31,7%.
Zona AMS

Vendas de CHF 26,4 bilhões, 4,2% de crescimento orgânico, 1,3% de crescimento real; 19,3% de margem de lucro operacional bruto, -10 pontos-base.

  • A Zona reportou crescimento orgânico bom e consistente.
  • Na América do Norte, o crescimento anual acelerou:
  • Em petcare, a inovação sustentou o bom crescimento de toda a linha de rações para gatos. Com relação às rações para cães, o portfólio premium teve bom desempenho, com Merrick, Purina ONE e Pro Plan apresentando um crescimento de dois dígitos. Beneful estabilizou, mostrando progresso no reposicionamento da marca.
  • Coffee Mate sustentou seu bom momento por meio de inovações como a embalagem de 64 oz. e os novos sabores do natural bliss
  • Lean Cuisine e Stouffer’s Fit Kitchen entregaram um crescimento orgânico sólido sustentado pela ampliação das novas linhas.
  • O desempenho dos confeitos nos Estados Unidos foi desapontador, impactado pelo ambiente competitivo e baixo crescimento do principal mercado de chocolates.
  • Na América Latina, o forte crescimento orgânico foi direcionado pelo aumento de preços após a depreciação cambial, na medida em que o crescimento real desacelerou:
  • No Brasil, tivemos um alto crescimento orgânico de um dígito. Significativos aumentos de preço no final do primeiro semestre do ano tiveram impacto sobre os volumes no curto prazo. Nescafé Dolce Gusto e KitKat continuaram a apresentar um crescimento de dois dígitos.
  • O México teve mais um ano de bom crescimento de base ampla com produtos lácteos, coffee creamers, café solúvel, Nescafé Dolce Gusto e chocolates.
  • Petcare continuou a entregar um crescimento forte em toda a região.
  • A margem de lucro operacional bruto caiu 10 pontos-base devido ao aumento dos custos de reestruturação. A margem de lucro melhorou na América do Norte, mas a América Latina foi afetada, principalmente, pelos altos custos da inflação causada pela depreciação cambial e os preços das commodities.
Zona EMENA

Vendas de CHF 16,2 bilhões, 2,0% de crescimento orgânico, 2,7% de crescimento real; 16,7% de margem de lucro operacional bruto, +100 pontos-base

  • A Zona entregou forte crescimento real, tendo acelerado pelo quarto ano consecutivo e ganhado participação de mercado, mostrando habilidade para inovar.
  • Na Europa Ocidental, o crescimento orgânico positivo foi decorrente de um sólido crescimento real. A política de preços foi negativa, afetada pelo contínuo preço baixo sustentando das commodities, pressão comercial e concorrência intensa:
  • Petcare, Nescafé e pizza continuaram a ser as principais fontes de crescimento na maioria dos mercados.
  • Na Alemanha e França, tivemos sólido crescimento real, enquanto a Europa Meridional apresentou bom crescimento orgânico e crescimento real. No Reino Unido, por outro lado, este foi um ano particularmente desafiador com pequeno declínio tanto de volume como de preços.
  • A Europa Central e Oriental continuaram a entregar forte crescimento orgânico baseado em bom crescimento real e política de preços positiva:
  • Na Rússia obtivemos um crescimento orgânico de dois dígitos com crescimento real positivo. Isso incluiu um forte crescimento do café solúvel Nescafé, especialmente o Barista. A Rússia foi o mercado com melhor desempenho global da Nestlé no segmento de petcare, liderado pela ração para gatos Felix.
  • A inflação na Rússia e na Ucrânia gerou uma política de preços positiva na região, enquanto os outros mercados apresentaram deflação de preços.
  • Os negócios se mostraram resilientes no Oriente Médio e Norte da África com crescimento orgânico positivo, mas esse impulso desacelerou devido ao ambiente instável e à pressão deflacionária:
  • Eventos no Iraque, Iêmen, Líbia e Síria continuaram a produzir efeitos. Houve, também, pressão deflacionária sobre os produtos lácteos na região.
  • Na Turquia, Nescafé e confeitos lideraram o crescimento de dois dígitos. O mercado do Norte da África também teve bom desempenho.
  • A margem de lucro operacional bruto melhorou 100 pontos-base, mesmo com o aumento dos custos de reestruturação e investimento em marketing. A rentabilidade aumentou na maior parte das categorias como resultado da premiumização, alavancagem de volume, economia das eficiências e custo favorável dos insumos. A gestão do portfólio também contribuiu positivamente com a criação da joint venture Froneri no segmento de sorvetes.
Zona AOA

Vendas de CHF 14,5 bilhões, 3,2% de crescimento orgânico, 2,9% de crescimento real; 19,0% de margem de lucro operacional bruto, +60 pontos-base

  • A Zona viu o crescimento real e crescimento orgânico ganharem ímpeto ao longo do ano, com recuperação de participações de mercado e contribuições de quase todos os mercados.
  • Em geral, os mercados emergentes da Zona tiveram um bom ano, com crescimento acelerado na maioria dos negócios. Yinlu foi a principal exceção, reduzindo o crescimento orgânico da Zona em 260 pontos-base:
  • Na China, o declínio de dois dígitos da Yinlu afetou o crescimento geral. Várias iniciativas já estão em andamento para reverter o negócio, cuja estabilização é esperada em 2017. Os produtos lácteos (Yinlu excluída) e confeitos cresceram positivamente, e Nescafé teve bom desempenho.
  • O Sudeste Asiático apresentou forte crescimento de dois dígitos no Vietnã e na Indonésia, especialmente com produtos lácteos e Milo. As Filipinas também tiveram um bom desempenho de um dígito, especialmente devido a Bear Brand no segmento de produtos lácteos.
  • Houve crescimento sólido na África Subsaariana. O crescimento real permaneceu positivo, apesar dos aumentos de preços para compensar a depreciação cambial. Houve crescimento de dois dígitos na África Central e Ocidental (inclusive Gana, Costa do Marfim e Nigéria), e na África Equatorial (inclusive Angola), com Maggi e Nido tendo bom desempenho.
  • Nosso negócio na Índia apresentou forte crescimento, apesar do impacto negativo da desmonetização no final do ano. O macarrão instantâneo Maggi continua a retomar sua participação de mercado. Os confeitos também tiveram bom desempenho com KitKat. Houve, ainda, forte crescimento no Paquistão nas categorias de produtos lácteos, prontos para beber, e outras categorias.
  • Nos mercados desenvolvidos houve bom crescimento no Japão e sólido crescimento real na Oceania:
  • O crescimento orgânico do Japão ficou acima das médias da Zona e do Grupo, equitativamente equilibrado entre crescimento real e política de preços. A base foi a inovação e premiumização de Nescafé e KitKat.
  • Na Oceania, houve sólido crescimento real alinhado com o Grupo, que compensou, em grande parte, a contínua pressão deflacionária.
  • A Zona melhorou sua margem de lucro operacional bruto em 60 pontos-base, aumentando, ao mesmo tempo, os investimentos em marketing. O desenvolvimento da margem bruta positiva foi auxiliado pelos custos favoráveis dos insumos, especialmente no segmento de produtos lácteos, bem como pelas eficiências de custo e melhoria de volumes e mix de produtos. O efeito do aumento nos gastos de reestruturação foi amplamente compensado pelos custos extraordinários mais baixos relacionados com o macarrão instantâneo Maggi na Índia.
Nestlé Waters

Vendas de CHF 7,9 bilhões, 4,5% de crescimento orgânico, 4,5% de crescimento real; 11,9% de margem de lucro operacional bruto, +110 pontos-base.

  • Nestlé Waters manteve seu bom crescimento orgânico impulsionado pelo crescimento real. Não houve alteração na política de preços:
  • Nos Estados Unidos, as marcas premium internacionais viram outro ano de crescimento dinâmico, com as marcas regionais Poland Spring, Ice Mountain e Deer Park tendo contribuído acima das médias do Grupo e da Nestlé Waters. O fechamento de uma fábrica no Texas após um tornado em abril teve impacto negativo.
  • Na Europa, a maioria dos mercados manteve seu crescimento depois de 2015, um ano forte devido à onda de calor. Houve boas contribuições do Reino Unido, Espanha e Alemanha.
  • Com relação aos outros mercados, o Sudeste Asiático, México e Norte da África tiveram bom desempenho.
  • As marcas premium internacionais de água com gás, Perrier e S. Pellegrino, apresentaram novamente um forte desempenho, crescendo duas vezes mais rapidamente do que o portfólio principal. 
  • A principal marca internacional da Nestlé, Nestlé Pure Life, deu boa contribuição, com crescimento orgânico acima da média da Nestlé Waters.
  • A margem de lucro operacional bruto apresentou forte melhoria de 110 pontos-base, paralelamente ao aumento no investimento em marketing. Isso foi possível graças à combinação de crescimento de volume, mix positivo de produtos por meio de premiumização, eficiência dos custos operacionais e custos favoráveis dos insumos.
Nestlé Nutrition

Vendas de CHF 10,3 bilhões, 1,5% de crescimento orgânico, 0,9% de crescimento real; 22,7% de margem de lucro operacional bruto, +10 pontos-base

  • A Nestlé Nutrition cresceu no contexto das mudanças nas dinâmicas da categoria, em especial na China, e pressão deflacionária devido aos baixos preços sustentados do leite:
  • As dinâmicas do mercado na China foram fracas antes da implementação da nova regulamentação, que resultou em ajustes nos níveis dos estoques de produtos tanto na China continental como em Hong Kong. Os baixos preços dos produtos lácteos e a intensa concorrência tiveram impacto sobre a política de preços, especialmente no segmento premium. Ao mesmo tempo, Illuma apresentou outro ano de forte crescimento, ganhando mercado e se tornando a marca líder em sua categoria na China. Também fortalecemos nossas competências no e-commerce, ganhando participação de mercado nesse importante canal.
  • Os Estados Unidos tiveram um crescimento lento durante o ano. Começamos a renovar a marca Gerber e introduzimos melhorias nas embalagens e receitas dos produtos, inclusive com muitas ofertas orgânicas.
  • A América Latina teve forte impulso liderado por inovações como os cereais Mucilon Iron Plus no Brasil e NAN Optipro no México.
  • O crescimento no Sudeste Asiático também foi sólido, com bom desempenho das Filipinas.
  • A melhoria na margem operacional bruta teve base ampla em todas as fórmulas e alimentos infantis em razão dos baixos preços sustentados dos produtos lácteos. Ao mesmo tempo, o investimento no marketing das marcas aumentou.
Outros negócios

Vendas de CHF 14,1 bilhões, 3,7% de crescimento orgânico, 3,4% de crescimento real; 15,2% de margem de lucro operacional bruto, -50 pontos-base

  • Nestlé Professional continuou a crescer, guiada pelo crescimento de um dígito nos mercados emergentes, com forte crescimento na Rússia e no México e sólido crescimento na China. Os Estados Unidos também apresentaram bom crescimento orgânico, enquanto os negócios no Canadá e Europa Ocidental declinaram. A partir de 2017, a Nestlé Professional estará integrada nas Zonas devido ao crescimento da demanda por produtos e serviços locais e regionais mais customizados.
  • A Nespresso continuou seu crescimento, no ano que completou 30 anos. Os Estados Unidos e o Canadá tiveram forte impulso com o sucesso contínuo do sistema VertuoLine. As vendas na França também se beneficiaram do lançamento de VertuoLine no final do ano. O Reino Unido apresentou forte aceleração após investimentos na marca e lançamento de um modelo de subscrição. Na Ásia, tanto a China como a Coreia tiveram bom desempenho.
  • Nestlé Health Science manteve boa velocidade de crescimento. O segmento de cuidados com o consumidor foi, novamente, a principal fonte de crescimento, incluindo a linha de produtos Boost, Carnation Breakfast Essentials e, na Europa, Meritene. A linha de nutrição médica foi beneficiada pelas fortes contribuições do portfólio de antialérgicos (especialmente na China), Vitaflo e suplementos nutricionais orais nos principais mercados.
  • Nestlé Skin Health teve bom desempenho no segmento de cuidados com o consumidor. Contudo, ajustamos os níveis do estoque de produtos no final do ano. O aumento da concorrência e a pressão dos genéricos afetaram o negócio de produtos sob prescrição médica nos Estados Unidos.
  • A margem de lucro operacional bruto deste segmento foi impactada por Nestlé Skin Health. Ajustes nos estoques, maior reestruturação e custas judiciais afetaram a rentabilidade. Nestlé Health Science também absorveu custos de reestruturação mais altos. Tanto a Nestlé Professional como a Nespresso aumentaram sua rentabilidade, ajudadas pelos custos favoráveis dos insumos.

Propostas do Conselho de Administração para a Assembleia Geral Anual

Na Assembleia Geral Anual de 6 de abril de 2017, o Conselho de Administração proporá um aumento do dividendo de CHF 2,30 por ação. O último dia de pregão com direito a receber o dividendo é 7 de abril de 2017. Os dividendos líquidos serão pagáveis a partir de 12 de abril de 2017. Os acionistas registrados no registro de acionistas com direito a voto em 30 de março de 2017 às 07:00 horas de horário Brasil terão o direito de exercer seus direitos de voto.
Em 27 de junho de 2016, o Conselho anunciou seus planos de sucessão para os cargos de Presidente do Conselho e CEO. Após servir a empresa por quase 50 anos, inclusive 11 anos como CEO e 12 anos como Presidente do Conselho, Peter Brabeck-Letmathe não se candidatará à reeleição, por ter atingido a idade de aposentadoria compulsória. O Conselho propôs a eleição de Paul Bulcke, que serviu como CEO de 2008 ao final de 2016, para o cargo de Presidente do Conselho. Em 17 de junho de 2016, o Conselho também nomeou Mark Schneider CEO da Nestlé a partir de 1º de janeiro de 2017. De acordo com o modelo de governança da Empresa em vigor, seu nome será proposto à eleição para membro do Conselho de Administração pela Assembleia Geral Anual.
O Conselho proporá a reeleição individual dos outros atuais membros do Conselho de Administração para um mandato até o final da próxima Assembleia Geral Ordinária. Além disso, o Conselho propõe a eleição de Ursula M. Burns, Presidente do Conselho da Xerox Corporation desde 2010 e CEO da empresa de 2009 a 2016. 
Finalmente, o Conselho deseja propor a eleição individual dos membros do Comitê de Remuneração e a eleição da KPMG como auditores legais até o final da próxima Assembleia Geral Ordinária. O Conselho também submeterá a remuneração do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva à aprovação dos acionistas. 

Perspectiva

Em 2017, esperamos um crescimento orgânico entre 2% e 4%. Para gerarmos rentabilidade futura, planejamos aumentar os custos de reestruturação consideravelmente em 2017. Como resultado, espera-se que a margem de lucro operacional bruto nas moedas de valor constante permaneça estável. Os ganhos subjacentes por ação nas moedas de valor constante e a eficiência de capital deverão aumentar.